Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

MonitoR7 A rainha da Inglaterra está usando ivermectina contra a covid?

A rainha da Inglaterra está usando ivermectina contra a covid?

Assunto foi um dos mais comentados no Twitter neste dia 21, com brincadeiras, mas também como se fosse confirmação de eficácia

No último domingo (20), a rainha Elizabeth II testou positivo para Covid-19, de acordo com a equipe do Palácio de Buckingham. “Sua Majestade está com sintomas leves de resfriado, mas espera continuar com tarefas leves em Windsor na próxima semana", informou a nota oficial,  que também confirmou que a realeza já tomou as três doses da vacina.

Desde então, como se trata de uma das personalidades mais conhecidas do mundo, o assunto se tornou pauta obrigatória dos meios de comunicação. Foi o caso do programa australiano A Current Affair, da Nine Network, segunda rede de TV em audiência naquele país. 

O programa exibiu uma reportagem sobre a doença de Elizabeth II e sobre "tratamentos alternativos". Na reportagem apareceu a imagem de uma caixa do medicamento "Stromectol", que é um dos nomes comerciais usados para a Ivermectina.

Isso foi suficiente para inflamar o Twitter, pois seria uma "prova" de que a rainha estaria se tratando com um fármaco que não tem comprovação científica contra a Covid-19. As hashtags #BolsonaroSalvouARainha, #Ivermectina e #Piolho ficaram entre as mais comentadas na rede social, chegando a ter mais de 10 mil publicações em cada.

Vários personalidades conservadoras fizeram publicações sobre o assunto. Grande parte delas, em tom de ironia. Em alguns casos, os autores brincaram com outra informação distorcida veiculada na semana passada, dizendo que "depois de evitar a Terceira Guerra Mundial, Bolsonaro salvou a rainha da Inglaterra". Mas também houve publicações em que o assunto foi tratado como se não houvesse dúvida sobre o uso do medicamento pela rainha inglesa.

Na verdade, em nenhum momento a reportagem exibida na Austrália fornecia essa informação. Entre os entrevistados da TV australiana estava o clínico-geral Mukesh Haikerwal, que falava sobre como a rainha poderia se beneficiar de novos medicamentos "aprovados" para pacientes de alto risco. Porém, o médico não presta serviços à monarquia inglesa e em nenhum momento cita Stromectol ou Ivermectina entre estes medicamentos.

Inclusive, em entrevista a um jornal local, Mukesh já se posicionou contra o uso da substância e disse que não acredita que a ivermectina pode ajudar no combate à covid. Depois da repercussão da imagem, nesta segunda-feira, enquanto o assunto bombava nas redes sociais, o clínico fez uma declaração em suas contas: "Eu entendo que as imagens inseridas inadvertidamente no A Current Affair serão removidas no decorrer de hoje. O canal foi alertado".

Não conseguimos contato com a rede de TV, mas tudo indica que foi um erro de edição, já que a reportagem citava apenas "novos medicamentos aprovados", tanto na Austrália quanto no Reino Unido. Nos dois casos, o Stromectol não é indicado para Covid-19. A reportagem foi retirada do ar.

Em conclusão, a alegação é falsa. “A saúde da rainha geralmente é mantida como um assunto firmemente privado”, disse o correspondente real da rede britânica BBC, Sean Coughlan, “com apenas os detalhes mais básicos sendo revelados”.

Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

É falso que TV australiana tenha informado sobre uso de ivermectina no tratamento de covid da rainha da Inglaterra

É falso que TV australiana tenha informado sobre uso de ivermectina no tratamento de covid da rainha da Inglaterra

Arte R7

Últimas