Tóquio 2020

Darlan treinava arremesso em terreno baldio?

Publicações nas redes sociais usaram imagem real, mas chegaram a conclusões equivocadas

Resumindo a Notícia

  • É enganoso que Darlan não tem estrutura de treinamento e treinava sempre em terreno baldio
  • Vídeo que viralizou foi tirado de contexto e não menciona que foi apenas um período de improviso
  • O atleta tem patrocínios e faz parte de um clube esportivo
  • Darlan Romani usou o terreno para driblar restrições da pandemia de Covid-19
Extraído de rede social

Extraído de rede social

Reprodução/Arte R7

A final do arremesso de peso, modalidade do Atletismo, nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, chamou a atenção dos brasileiros. A prova tinha a participação do brasileiro Darlan Romani, que chegou com bom histórico e perspectiva de medalha. Na modalidade, Darlan é o atual recordista pan-americano, sul-americano e brasileiro. Mas o pódio não veio. Darlan ficou em quarto lugar.

O resultado diferente do esperado e a visível decepção do atleta, ao final da prova, emocionaram ainda mais o público brasileiro. E o aparecimento de um vídeo que mostra Darlan treinando de forma improvisada, num terreno baldio, acabou provocando várias publicações nas redes sociais. As imagens viralizaram, com críticas à estrutura precária de treinos oferecida ao atleta. Segundo as publicações, Darlan teria se preparado para a disputa de Tóquio naquele local, sem condições.

O próprio atleta fez questão de esclarecer essa questão, em publicação da sua conta pessoal no Instagram. "O terreno baldio foi SOMENTE no período de lockdown, eu improvisei do lado de casa para não perder treino e respeitar o decreto de ficar em casa”. 

Antes da pandemia de Covid-19, Darlan treinava no Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo(CNDA), em Bragança Paulista (SP). A estrutura do local é oficial, reconhecida e regulamentada pela Confederação Brasileira de Atletismo(CBAt).

Pista de atletismo do Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista (SP).

Pista de atletismo do Centro Nacional de Desenvolvimento do Atletismo (CNDA), em Bragança Paulista (SP).

Foto: Confederação Brasileira de Atletismo/Reprodução

Por conta das restrições  determinadas pela Prefeitura de Bragança Paulista, em razão da pandemia de Covid-19, o CNDA fechou entre os meses de abril e julho, em 2020. Para seguir treinando, o atleta improvisou uma área de arremesso de peso num terreno baldio perto da casa dele.

Além de Romani, a atleta Geisa Arcanjo – que fez parte da delegação brasileira de Atletismo na Olimpíada de Tóquio 2020 -  também participou dos treinos nesse terreno. Durante esse período de adaptação, os competidores estavam sendo preparados pelo treinador da Confederação Brasileira de Atletismo, Justo Navarro. Essa preparação improvisada durou alguns meses, já que o treinador se ausentou e acabou retido no destino de sua viagem, por conta das restrições da pandemia.

Romani é patrocinado por duas empresas, além de contar com apoio financeiro do Governo Federal, por meio do Bolsa Pódio, uma divisão do programa Bolsa Atleta. Atualmente, ele compõe o grupo de atletas do clube Pinheiros, de São Paulo.

Darlan Romani treinando em Bragança Paulista

Darlan Romani treinando em Bragança Paulista

Foto: Confederação Brasileira de Atletismo/Reprodução

Últimas