Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

MonitoR7 Espanha não tem o coronavírus isolado e nem sabe quem tem?

Espanha não tem o coronavírus isolado e nem sabe quem tem?

Miistério da Saúde espanhol emitiu comunicado que gera controvérsias sobre o vírus que provoca a Covid-19

Bandeiras da Espanha e da Catalunha a meio pau na sede do governo catalão em Barcelona, em homenagem às vítimas da pandemia de covid-19

Bandeiras da Espanha e da Catalunha a meio pau na sede do governo catalão em Barcelona, em homenagem às vítimas da pandemia de covid-19

Quique García / EFE - 27.5.2020

Um comunicado do Ministério da Saúde da Espanha vem provocando polêmica nas redes sociais. No texto, o órgão reconhece não ter amostras de SARS-CoV-2 para ensaios sobre o vírus e também não teria informação sobre quem tem: "O Ministério da Saúde não tem um registro dos laboratórios com capacidade de coleta e isolamento para ensaios".

A afirmação vem sendo usada em alguns grupos como suposta confirmação de que o vírus não existiria. Uma leitora do MonitoR7 nos enviou a publicação  por mensagem, para verificação. Na imagem que nos foi enviada, além do trecho da nota do ministério, há uma espécie de legenda:  "O Ministério da Saúde espanhol reconhece que não tem uma cepa de SARS-CoV-2 e nem sabe quem tem".

A nota do ministério foi uma resposta a um pedido de informação pública. Nela, o órgão reconhece não ter amostras do vírus. Contudo, tanto na Espanha, quanto em boa parte dos países em todo o mundo, o vírus já foi isolado no início da pandemia. E foi isso que permitiu o desenvolvimento tanto das vacinas quanto de testes de avaliação para medicamentos que podem ser usados no tratamento da doença.

A investigadora do Centro Nacional de Biotecnologia da Espanha, Sonia Zúñiga, trabalha como pesquisadora na área de coronavírus e afirmou à Maldita.es, uma agência de checagens espanhola, que existem laboratórios no país que fazem os testes com o vírus. Inclusive, o próprio local de trabalho de Zúñiga é um desses laboratórios.

"Existem laboratórios na Espanha de nível de biossegurança BSL-3, onde se fez crescer e isolar o coronavírus, que causa COVID-19, onde se fazem experimentos com ele" disse a investigadora.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária(Anvisa), o nível "BSL-3", dito por Zúñiga, é requerido em locais onde realiza-se o trabalho com agentes nativos ou exóticos que possuam um potencial de transmissão via respiratória e que possam causar infecções sérias e potencialmente fatais.

Outro laboratório que faz testes com o vírus causador da Covid é o Centro de Investigação em Saúde Animal (CISA, na sigla em espanhol), que é a maior instalação de alta segurança biológica existente na Espanha. Além de ser uma instituição parceira de outros três institutos nacionais espanhóis.

A Universidade de Zaragoza, instituição pública de ensino na Espanha, em junho de 2020, publicou imagens de uma pesquisa feita com o primeiro coronavírus isolado em Aragão, comunidade autônoma espanhola. Nessa ocasião, os Serviço de Análise Microbiológica e o Serviço de Microscopia Eletrônica de Sistemas Biológicos trabalharam em conjunto para consolidar uma nova linha de investigação em Aragão, centrada no estudo imunológico da infecção por SARS-Coronavirus.

Nenhum desses laboratórios são do próprio Ministério da Saúde, porém todos são de instituições (públicas e/ou privadas) na Espanha. Víctor Jiménez Cid, membro da Sociedade Esapnhola de Microbiologia (SEM), explicou à Maldita.es que o vírus causador da Covid-19 foi "detectado, caracterizado e sequenciado pelo seu genoma não uma, mas milhares de vezes para seguir a sua evolução".

A imagem que circula nas redes com a notícia enganosa está servindo de argumento para afirmar que o vírus da Covid não foi isolado e nem sequenciado, mas nenhuma dessas informações procede. O coronavírus (SARS-Cov-2) já foi isolado e sequenciado em diversos países, inclusive a Espanha.

Em fevereiro de 2020, a revista "Nature", referência em pesquisa científica, publicou um primeiro estudo sobre uma "doença respiratória associada a um novo coronavírus na China", na ocasião, o vírus já havia sido isolado e sequenciado.

Outro artigo da mesma revista, publicado no mesmo mês, trouxe imagens microscrópicas do SARS-CoV-2, isto é, o vírus estava sendo analisado em laboratório já nos primeiros meses da pandemia. Essa amostra estava sendo manipulada no Centro de Saúde Pública de Shangai, na China. De acordo com o Centro Europeu de Prevenção e Controle das Doenças (ECDC), o primeiro sequenciamento completo do coronavírus foi publicado em janeiro de 2020.

No Brasil, em setembro desse ano, pesquisadores da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) conseguiram sequenciar, de maneira direta, o RNA do SARS-CoV-2, o vírus causador da COVID-19. Essa foi a primeira vez que o sequenciamento foi feito no país. De acordo com os autores da pesquisa, essa técnica permite que o mapeamento genético tenha 25 vezes mais resolução. 

Ainda em fevereiro do ano passado, duas brasileiras sequenciaram o primeiro caso de Covid na Améria Latina. A sequência analisada foi concluída em dois dias após a confirmação do caso. A pesquisa foi conduzida por cientistas do Instituto Adolfo Lutz (IAL), da Universidade de Oxford e do Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP). 

Portanto, a notícia é enganosa. Apesar do Ministério da Saúde espanhol afirmar que não tem registros dos laboratórios e/ou teste clínicos em amostras isoladas, não é possível concluir que esses dados não existam. Sequenciamentos do genoma do vírus isolado já foram feitos em diversos lugares do mundo, como apresentado acima. Essa notícia também foi verificada pela agência de checagens espanhola Maldita.es.

Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

É enganoso que Espanha não possui registros de sequenciamento e laboratórios que fazem testes clínicos com o coronavírus

É enganoso que Espanha não possui registros de sequenciamento e laboratórios que fazem testes clínicos com o coronavírus

Reprodução/Arte R7

Últimas