Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

MonitoR7 Esposa do CEO da Pfizer morreu após reação à vacina?

Esposa do CEO da Pfizer morreu após reação à vacina?

Grupos anti-vacina se baseiam em notícia veiculada em site canadense para compartilhar o boato

Aplicação de vacinas da Pfizer 
no Distrito Federal

Aplicação de vacinas da Pfizer no Distrito Federal

Myke Sena/MS -

Mensagem amplamente divulgada em grupos anti-vacina no Telegram afirma que a esposa do CEO da Pfizer, Myriam Bourla, morreu após sofrer complicações em decorrência da vacinação contra a Covid-19, no dia 10 de novembro.

A publicação passou a circular no Brasil após um site canadense chamado “Conversative Beaver” publicar a notícia.

Segundo a mensagem, Bourla foi levada a um pronto-socorro em Nova York para ser atendida por paramédicos, mas não teria resistido. “A causa da morte foi listada como complicações da vacina Pfizer”, diz trecho da publicação.

A informação é falsa. Myriam Bourla não morreu.

No dia 10, citado na publicação como sendo a data de sua morte, Miriam estava com o marido dela, Albert Bourla, numa premiação de líderes do Atlantic Council, como consta de um registro do evento nas redes sociais do CEO da Pfizer. Além disso, a assessoria da farmacêutica Pfizer confirmou à imprensa internacional que Miriam está “viva e bem”.

A publicação original, do site canadense, inclusive, já foi retirado do ar. Entre as outras declarações falsas colocadas no texto, há a afirmação de que a mulher, antes de ser imunizada, teria se recusado a tomar a vacina e usa uma entrevista dada por ela para tentar corroborar a história.

No entanto, na entrevista, publicada em fevereiro deste ano pelo jornal “Scardale 1058”, Myriam ressalta que, até aquele momento, não tinha se vacinado ainda, pois ela não era elegível: “Eu gostaria de comunicar que estou muito orgulhosa pelo meu marido e pelo trabalho que ele fez. Também estou feliz pela humanidade e pela esperança que a vacina trouxe ao mundo. Eu ainda não tomei a vacina porque  ainda não chegou a minha vez".

Não é a primeira vez que o principal executivo da farmacêutica é vítima de uma notícia falsa. Aqui, no MonitoR7, nós já mostramos caso em que se dizia que o  próprio Albert Boula não tinha tomado a vacina contra Covid, como você pode ler, no texto abaixo.

Você tem uma informação que gostaria que fosse checada? Envie mensagem para o MonitoR7, por WhatsApp ou Telegram: (11) 9-9240-7777

Publicação viral trazia informação falsa de que esposa do CEO da Pfizer teria morrido após reação adversa da vacina

Publicação viral trazia informação falsa de que esposa do CEO da Pfizer teria morrido após reação adversa da vacina

Reprodução/ Artes: R7

Últimas