MonitoR7 França: repressão policial na entrada de shopping

França: repressão policial na entrada de shopping

Oitava semana seguida de protestos contra passaporte da vacinação. Ministro defende direito dos manifestantes

Na França, milhares de pessoas protestam contra passe sanitário

Na França, milhares de pessoas protestam contra passe sanitário

Sebastien SALOM-GOMIS / AFP - 04.09.21

O último sábado foi tenso na França, na oitava semana seguida de manifestações contra o chamado "passe sanitário". Um vídeo que viralizou ontem(05) mostra repressão policial contra manifestantes, na entrada de um shopping da capital francesa. O vídeo foi amplamente divulgado no Facebook, com centenas de likes e compartilhamentos.

Na gravação, um grupo de policiais cerca duas das participantes do protesto e começa a agredi-las com cacetetes. Depois, os policiais as algemam. Há uma tentativa de reação por parte das manifestantes, mas elas logo são contidas pelos agentes de segurança.

O vídeo é verdadeiro. Foi registrado no sábado(04) no Forum Des Halle, um shopping-center de Paris. Algumas das pessoas que participavam do protesto pacífico, na rua, romperam a barragem de checagem do comprovante de vacinação e tentaram invadir o centro comercial.

A Brigada de Repressão por Ações Violentas, uma ala da polícia parisiense, interveio, porque a lei federal determina que todo cidadão deve apresentar comprovante de vacinação para entrar em bares, restaurantes, transportes interurbanos e até hospitais. Foi nesse momento que o vídeo foi gravado, mostrando a resposta violenta dos agentes.

Três pessoas foram presas por violência e insultos à polícia. O protesto então se dispersou pacificamente. Ninguém ficou gravamente ferido e nenhum dano foi relatado pelo shopping.

É o oitavo fim de semanda consecutivo de protesto antivacina. Os jornais franceses relatam que mais de 141.000 pessoas participaram dos protestos de sábado, incluindo cerca de 20.000 em Paris.

O número de manifestantes diminuiu neste sábado para cerca de 160.000, contra aproximadamente 175.000 no sábado anterior. Entre os participantes estão os "coletes amarelos", militantes antivacinas e opositores do governo Macron.

O primeiro-ministro francês, Jean Castex, comentou sobre os protestos e sobre a reação policial. Ele  defendeu o direito de protesto por parte daqueles que não concordam com as medidas co governo.

O ministro, no entanto, criticou os excessos das manifestações. "Não temos o direito, porque somos antivacinas, de ir incendiar postos de vacinação; não temos o direito porque somos antipasse, de agredir fisicamente um garçom em um café", disse Castex a um programa francês.

As medidas de incentivo à vacinação estão cada vez mais restritas na França. E os esforços estão mostrando resultado. A média diária móvel de novos casos na França foi de 13.423 no domingo(05). Uma redução de 24% em relação ao domingo anterior, de acordo com dados do governo francês.

E, apesar das manifestações regulares contra o passe de saúde mobilizarem milhares de franceses nos últimos sábados, 80,5% da população adulta da França foi totalmente vacinada, segundo o Ministério do Interior.

Você tem uma informação que gostaria que fosse checada? Envie mensagem para o MonitoR7, por WhatsApp ou Telegram: (11) 9-9240-7777

Manifestante sendo presa
 por policiais, na França.

Manifestante sendo presa por policiais, na França.

Reprodução/ Arte R7

Últimas