General convocou uma intervenção militar?

Checamos, a pedido de leitora, um áudio que voltou a circular nas redes sociais, atribuído ao ministro da Defesa, general Braga Netto

  • MonitoR7 | Do R7

Ministro de Estado da Defesa, Walter Braga Netto

Ministro de Estado da Defesa, Walter Braga Netto

Câmara dos Deputados /Arquivo

Um áudio que pede intervenção militar no governo voltou a ser divulgado em redes sociais e aplicativos de mensagens. Nas legendas, a gravação é atribuída ao atual ministro da Defesa, general Braga Netto. Nós recebemos o áudio por mensagem de WhatsApp, enviado por uma leitora, que quer saber se ele é verdadeiro.

No áudio, um homem diz que "o povo tem que agir porque as Forças Armadas jamais irão agir sem ajuda do povo". Também diz que "é necessário confiar nas Forças Armadas, porque elas são coesas". Entretanto, a voz e o tom usados pelo autor da gravação não são são semelhantes aos do ministro da Defesa.

Como já circulou em outros momentos, a origem desse áudio já foi apurada também por outras agências de checagem. Ele foi originalmente publicado no Youtube, alcançando a marca de 1,2 milhão visualizações. Depois disso, ele passou a circular também no WhatsApp e no Facebook, sempre atribuído ao general. Porém todo esse conteúdo foi excluído, sendo somente acessado hoje por ferramentas que permitem ver publicações já apagadas.

O áudio foi divulgado inicialmente no ano passado, dias antes de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro irem às ruas para pedir intervenção militar. O general, através de sua assessoria, também negou ser o dono da voz que aparece na gravação.

O verdadeiro autor já foi identificado. Se trata de Joe Patriota, conhecido por fazer vídeos a favor da intervenção militar nas redes socias. Ele fez uma postagem em seu perfil, no dia 15 de abril de 2020, confirmando que enviou um áudio no grupo Liga Cristã Mundial, do WhatsApp, e ele teria vazado e sido atribuído erroneamente ao general. "Venho a público esclarecer que o general Braga Netto não gravou o áudio em questão e que o tal vazamento da minha voz se deu sem o meu consentimento, conhecimento ou vontade", escreveu, Joe.

Reprodução/Redes sociais

Últimas