MonitoR7 Ministra da Agricultura apoia greve dos caminhoneiros?

Ministra da Agricultura apoia greve dos caminhoneiros?

Áudio é espalhado em grupos de mensagem, com apoio a uma greve de caminhoneiros e a atos em 7 de setembro

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina

Ministra da Agricultura, Tereza Cristina

Adriano Machado/Reuters - Arquivo

Circula um áudio em grupos de mensagens, com um pronunciamento enfático em defesa de manifestações programadas para o próximo dia 7 de setembro, por grupos que apoiam o presidente da República, Jair Bolsonaro. No áudio, uma voz feminina se posiciona como porta-voz do setor agropecuário. "Garanto pra vocês que o setor do Agro não retrocede, viu?", diz a mulher. Em outro momento, ela diz literalmente que pertence ao setor.

A voz na mensagem afirma que o "pessoal do Agro" está comprometido a ajudar o governo a "se livrar desta peste perniciosa que é o Congresso Federal e o STF". A mensagem ainda cita a entrevista do cantor Sérgio Reis. Ela diz que representantes do agronegócio estavam presentes naquele momento, para apoiar a manifestação do cantor, que ela afirma também ser produtor rural. 

A mulher chama governadores de "pústulas", diz que eles fazem "a farra com o dinheiro do povo" e que tem "sangue nas mãos de vidas que foram impedidas de se abençoarem do tratamento precoce". E, a partir daí, cita medicamentos sem eficácia comprovada para o tratamento da Covid-19.

E ela encerra dizendo que as manifestações de 7 de setembro farão uma "libertação", com o auxílio do presidente da República e das Forças Armadas. "Acredito que nós vamos ter uma reprise, maior até, do ano de 1964". Pede ainda que as pessoas façam provisão de alimentos, em razão de uma paralisação de caminhoneiros.

A mensagem com esse áudio vem em conjunto com o texto: "Escute o pronunciamento da Ministra da Agricultura, Tereza Cristina." Em nenhum momento, a mulher do áudio se identifica, apenas afirma ser do setor do agronegócio.

Em nota enviada ao Monitor7, o Ministério da Agricultura desmentiu a informação. Segundo a nota,  a ministra Tereza Cristina não é a pessoa que está falando no áudio.

As principais lideranças da classe de caminhoneiros já afirmaram que não farão parte das manifestações no dia 7 de setembro. Nereu Crispim(PSL-RS), presidente da Frente Parlamentar dos Caminhoneiros e Celetistas gravou um vídeo rebatendo o cantor sertanejo, Sérgio Reis, que convocou as manifestações e estaria liderando o movimento. "Os caminhoneiros não são massa de manobra e não vão participar no dia 7 de setembro desse movimento", diz o deputado federal.

O presidente da Associação Brasileira dos Condutores de Veículos Automotores(Abrava), Wallace Landim, mais conhecido como Chorão, afirma em vídeo que os caminhoneiros não se envolvem com pautas políticas. ""Não nos envolvemos com política, nem a favor de governo ou contra governo, nem a favor do STF ou contra o STF [...] Quero deixar claro que não participamos disso" declara ele.

No áudio, a mulher fala do chamado tratamento precoce contra a Covid-19, como cloroquina, ivermectina e azitromicina. E ainda do "tratamento natural", com suplemento de zinco e vitamina D.  Contudo, não existe nenhuma comprovação científica de que os medicamentos citados são eficazes no tratamento da doença. 

A Associação Médica Brasileira(AMB) já se manifestou sobre o assunto: "Reafirmamos que, infelizmente, medicações como hidroxicloroquina/cloroquina, ivermectina, nitazoxanida, azitromicina e colchicina, entre outras drogas, não possuem eficácia científica comprovada de benefício no tratamento da COVID-19, quer seja na prevenção, na fase inicial ou nas fases avançadas dessa doença, sendo que, portanto, a utilização desses fármacos deve ser banida."

No Reino Unido, foi feito o Estudo Recovery, pelo grupo de mesmo nome em parceria com o Instituto Nacional de Pesquisa em Saúde. Neste, concluiu-se que a hidroxicloroquina não reduziu a mortalidade nos pacientes que a utilizaram. Além disso, o medicamento se correlacionou com internações hospitalares mais longas e maior probabilidade do uso de ventiladores mecânicos.

Por ter sido muitas vezes compartilhado, o áudio é de autoria desconhecida. Entretanto, além de atribuir uma origem falsa à mensagem, algumas das informações da própria gravação de voz são falsas, tem caráter alarmista e/ou não podem ser confirmadas ainda. Características típicas da produção de notícias falsas.

Você tem uma informação que gostaria que fosse checada? Envie mensagem para o Monitor7, por WhatsApp ou Telegram: (11) 9-9240-7777

Extraído de aplicativo de mensagens

Extraído de aplicativo de mensagens

Reprodução/Arte R7

Últimas