MonitoR7 Pare de tomar ivermectina. Você não é cavalo. Recomendação da FDA?

Pare de tomar ivermectina. Você não é cavalo. Recomendação da FDA?

Agência de regulação de medicamentos dos Estados Unidos postou em rede social sobre uso do remédio

  • MonitoR7 | Do R7

Arquivo

A FDA, agência dos Estados Unidos que avalia a segurança e a eficácia de medicamentos, entre outros produtos, fez uma postagem em sua conta oficial no Twitter(@US_FDA), sobre ivermectina. A publicação teve mais de 30 mil replicações, recebeu mais de 67 mil curtidas e superou 11 mil comentários.

A postagem da agência remete a um texto maior sobre o tema. O texto tem versões em várias línguas, inclusive em português. O título é "Porque você não deve usar ivermectina para tratar ou prevenir Covid-19". E o título da postagem, em inglês, é ainda mais incisivo, com uma linguagem forte e um tom coloquial, incomuns para um órgão governamental: "Você não é um cavalo. Você não é uma vaca. Sério, pessoal. Parem com isso".

Ivermectina é um remédio já bem conhecido. Trata-se de um antiparasitário, com amplo uso em animais no tratamento de dirofilariose e outros parasitas internos e externos. De acordo com o texto da FDA, em humanos, a substância tem uso autorizado nos Estados Unidos na forma de comprimidos, contra estrongiloidiase intestinal ou oncocercose.

Em outra formulação a ivermectina pode ser usada na pele, nos Estados Unidos, para tratamento de parasitas externos, como piolho e doenças de pele, como rosácea. No texto da FDA, há ainda um alerta  sobre as diferenças entre as versões da Ivermectina para uso em animais e para uso em humanos.

A agência americana faz também um alerta sobre os usos incorretos da substância. A FDA informa que há pesquisas em andamento para uso da ivermectina no tratamento da Covid-19, mas seu uso não está aprovado. Por isso, enquanto isso, seu uso em pacientes com a doença não é considerado seguro.

A FDA ainda se preocupa em alertar contra informações de que não há problema em administrar doses maiores de ivermectina que as previstas na bula do remédio. Segundo a agência, doses mais altas da substância, mesmo no tratamento das doenças previstas em bula, podem provocar náusea, vômito, diarréia, pressão baixa, reação alérgica, tontura, ataxia(problemas de equilíbrio), convusão, coma e até morte.

A Anvisa(Agência Nacional de Vigilância Sanitária) é a equivalente brasileira da FDA. Nossa agência também já se manifestou em relação ao uso de ivermectina. Para a Anvisa, a substância tem o uso autorizado no Brasil apenas para as indicações previstas na sua bula. Entre elas, as citadas pela agência americana e também a Escabiose(sarna).

Postagem da FDA no Twitter

Postagem da FDA no Twitter

Arte R7

Últimas