Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

MonitoR7 Roraima está sendo "tomada" por norte-americanos e índios?

Roraima está sendo "tomada" por norte-americanos e índios?

Mensagem traz relato assustador sobre a vida no estado, em nome de professora universitária

  • MonitoR7 | Do R7

Monte Caburaí, em Roraima, faz parte da Floresta Amazônica

Monte Caburaí, em Roraima, faz parte da Floresta Amazônica

Teste

Uma mensagem que relata como seria morar em Roraima, estado da Região Norte do país, circula nas redes sociais há alguns anos, elencando uma série de problemas no lugar. A mensagem tem a assinatura em nome de uma bióloga da Universidade de São Paulo. Um leitor do MonitoR7 recebeu a mensagem e pediu a checagem das informações. 

Entre as afirmações, o texto informa que não existem indústrias no Estado, que 70% do território roraimense é demarcado como reserva indígena e que “na única rodovia que existe”, brasileiros não passam, a não ser que tenha autorização da FUNAI (Fundação Nacional do Índio). O acesso, no entanto, seria livre para estrangeiros.

Ainda de acordo com o texto, os estrangeiros são favorecidos e os Estados Unidos, interessados na riqueza da Floresta Amazônica, exploram o local para patentear recursos. A bióloga afirmaria ainda que até mesmo uma invasão militar está no radar dos estadunidenses, para manter os interesses econômicos no local, sob alegação de estarem “combatendo o narcotráfico”.

As informações contidas neste texto são falsas. A começar pela assinatura. Maria Silvia Alexandre Costa de fato é bióloga e já trabalhou na USP. Mas há quase 20 anos ela luta para provar que nunca fez esse texto. E nem poderia, porque nunca esteve em Roraima. 

O texto mente ainda, nas informações sobre o estado mais ao Norte do país. Em um dos trechos do texto, é dito que a proporção do estado é de “um roraimense para cada dez pessoas”. Essa informação é falsa. Segundo o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), 55% das pessoas que vivem em Roraima nasceram no Estado. 

É mentira também que Roraima não tem nenhuma indústria. Dados da FIER (Federação das Indústrias do Estado de Roraima), de 2019, indicam que o estado possui mais de 500 indústrias, que geram mais de dez mil empregos diretos e R$ 10 bilhões para o PIB (Produto Interno Bruto) local.

Em relação à parcela da área do estado que é considerada terra indígena, o número correto não é o de 70%, que consta na mensagem.  A área destinada à demarcação de terras indígenas equivale a 46,20% do território roraimense, segundo dados do IBGE e do Ecoamazônia.

Rondônia não tem, também, uma única estrada. Existem 27 rodovias estaduais em território roraimense.

Sobre a circulação em áreas públicas, Roraima segue o que está na lei e vale para todo território brasileiro. Cidadãos brasileiros e estrangeiros tem direito de circular e não há qualquer dispositivo legal que faça com que brasileiros precisem de autorização da FUNAI para passar por uma rodovia, enquanto estrangeiros são liberados.

Como há muitos indígenas no estado e vários se queixam de terem direitos desrespeitados, algumas vezes ocorrem manifestações que realmente bloqueam estradas e impedem a circulação. Mas, encerrado o protesto, o movimento na estrada volta ao normal. Como acontece em outros estados brasileiros.

Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

Publicação, que viraliza de tempos em tempos na internet, traz relato falso sobre o estado de Roraima

Publicação, que viraliza de tempos em tempos na internet, traz relato falso sobre o estado de Roraima

Reprodução/ARTE R7

Últimas