MonitoR7 Tomar chuva pode causar gripe ou resfriado?

Tomar chuva pode causar gripe ou resfriado?

Dias chuvosos têm sido comuns durante o Carnaval, mas não são responsáveis pelos quadros de infecção de vias aéreas superiores

  • MonitoR7 | Yasmim Santos*, do R7

Resumindo a Notícia
  • Chuva não pode causar gripe ou resfriado.

  • Condições são causadas por vírus, como o influenza e o sincicial respiratório.

  • Tomar chuva de forma recorrente pode desencadear pequenas lesões na via aérea.

  • Foliões, no entanto, devem manter atenção nas aglomerações.

Chuva não pode causar gripe ou resfriado

Chuva não pode causar gripe ou resfriado

Freepik

O último dia de Carnaval promete algo que foi comum durante toda a festividade: diversão e chuva. Diante disso, muitos foliões trouxeram à tona uma dúvida antiga: se eu tomar chuva, vou ficar gripado ou resfriado?

A resposta é não, o dia chuvoso não tem relação direta com essas condições.

"Isso é um mito. Sabemos que as infecções respiratórias, as gripes e os resfriados, são causados por agentes externos, pelos vírus. Temos o vírus sincicial respiratório, da gripe, da influenza, temos, hoje, o vírus da Covid-19. Então, para que tenhamos uma gripe ou um resfriado, ou uma infecção de vias aéreas superiores, temos que ter uma contaminação por esses vírus", explica Carlos Luís Botto Rosa, pneumologista da Unimed Franca e professor de pneumologia no curso de medicina do centro universitário de Franca - Unifacef.

O que pode acontecer, caso o indivíduo tome chuva de forma recorrente, é desenvolver pequenas lesões na via aérea, como um ressecamento, em decorrência dos extremos de temperatura, e isso pode deixar a pessoa mais frágil a esses vírus.

"Tomar chuva não vai causar a gripe, muito menos o resfriado, mas acaba que, se fizermos isso de forma recorrente, acaba se expondo", diz Rosa.

Isso significa que os foliões podem curtir o Carnaval com mais tranquilidade, mas não sem preocupação, já que se trata um lugar com grandes aglomerações - gripe e resfriado são transmitidos por pessoas infectadas por meio da tosse, espirro ou fala.

Sendo assim, todo cuidado é pouco, ainda mais se o indivíduo estiver passando por um quadro de imunidade baixa.

"Quando ela percebe que está tendo muitas infecções de repetição, seja infecções de garganta, de ouvido, sinusites, infecções pulmonares que dão tosse, de pele, qualquer uma que está tendo uma atrás da outra, tem que acender um alerta e procurar um médico para investigar se tem alguma coisa acontecendo", relata a infectologista Mirian Dal Ben, credenciada da Omint.

*Estagiária do R7, sob supervisão de Giovanna Borielo

Veja 5 dicas para evitar doenças infecciosas após usar banheiro químico no Carnaval

Últimas