Ficou em dúvida sobre uma mensagem de aplicativo ou postagem em rede social? Encaminhe para o MonitoR7, que nós checamos para você (11) 9 9240-7777

Reino Unido

Vacinas contra o covid-19 causam AIDS?

Postagens afirmam que a informação vem de estudo da autoridade de saúde do Reino Unido

  • MonitoR7 | Do R7

Matéria diz que vacinas podem causar AIDS

Matéria diz que vacinas podem causar AIDS

Portal Correio

Publicações no Twitter e no Facebook espalham a informação de que as vacinas contra o coronavírus podem facilitar que as pessoas desenvolvam AIDS. As postagens incluem atalhos para publicações dos sites Stylo Urbano e Coletividade Evolutiva.

Segundo esses sites, a conclusão está nos relatórios da Public Health England, autoridade sanitária do Reino Unido. O texto do site Stylo Urbano teve como base um artigo publicado no site britânico The Exposé.

A principal conclusão, sobre a possibilidade das vacinas favorecerem o desenvolvimento de Aids, está numa coluna, que é parte de uma tabela creditada à Public Health England(PHE). Essa coluna indica o que seriam "semanas antes da falha total do sistema imune".

O presidente Jair Bolsonaro citou essa informação na sua live semanal das quintas-feiras, no último dia 21. Ele afirmou que relatórios oficiais do Governo do Reino Unido "sugerem" que os totalmente vacinados estão desenvolvendo Aids "muito mais rápido que o previsto". O presidente ainda sugeriu que seu público procurasse ler a notícia. "Não vou ler aqui, porque posso ter problemas com a minha 'live'".

Apesar de não ter lido o texto, o presidente teve problemas com a live. O vídeo foi eliminado das contas de Bolsonaro, tanto no Facebook quanto no Instagram. "Nossas políticas não permitem alegações de que as vacinas contra a Covid-19 matam ou podem causar danos graves às pessoas", declarou um porta-voz da empresa. Os estudos científicos mostraram até agora que as vacinas anti-Covid são seguras.

O estudo da PHE realmente tem uma tabela semelhante à usada nas postagens, mas a coluna não existe no original, como é possível verificar na imagem abaixo. Os textos que apresentam as tabelas adicionadas também não explicam de onde conseguiram essa informação sobre a possibilidade das vacinas transmitirem AIDS.

As tabelas originais apenas mostram o status da vacinação na Inglaterra e quantas pessoas tiveram casos de coronavírus naquela semana.  Os textos que apresentam as tabelas modificadas não explicam quais dados ou cálculos foram usados para se chegar à conclusão da coluna adicionada, já que o estudo não fala sobre AIDS.

Tabela original do órgão de saúde inglês, sem a coluna sobre a falha do sistema imune.

Tabela original do órgão de saúde inglês, sem a coluna sobre a falha do sistema imune.

Public Health England

Além disso, não é o enfraquecimento ou fortalecimento do sistema imunológico que provoca a AIDS. A doença é transmitida por um vírus quando há contato direto com o sangue, sêmen ou fluidos vaginais de um infectado.  É a infecção que leva o paciente e ter problemas de imunidade.

Órgãos de saúde nacionais e internacionais, como a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e a OMS (Organização Mundial de Saúde), asseguram que as vacinas passaram por diversos testes antes de serem disponibilizadas para o público e são seguras.

É falso que as vacinas do coronavírus podem passar AIDS

É falso que as vacinas do coronavírus podem passar AIDS

Reprodução R7

Últimas